top of page

Fui demitida e não sabia que estava grávida

Atualizado: 2 de jun. de 2023


Receber a notícia de uma demissão já é uma situação difícil e estressante, mas imagine descobrir, após ser dispensada do trabalho, que estava grávida sem sequer suspeitar. Infelizmente, essa situação pode ocorrer, gerando uma mistura de sentimentos e incertezas. Neste artigo, vamos abordar o tema "fui demitida e não sabia que estava grávida", esclarecer seus direitos e orientar sobre os próximos passos a serem tomados. Acompanhe!


O direito à estabilidade provisória: No Brasil, a legislação trabalhista assegura direitos específicos às gestantes, visando à proteção da saúde da mulher e do bebê. Entre esses direitos está a estabilidade provisória no emprego, que garante que a gestante não seja demitida sem justa causa desde a confirmação da gravidez até cinco meses após o parto.


A questão da ciência da gravidez: Ao se deparar com a demissão e descobrir posteriormente que estava grávida, é comum surgirem questionamentos sobre a possibilidade de reverter a situação. No entanto, é importante ressaltar que a lei não obriga que a empresa tenha conhecimento prévio da gravidez para conceder a estabilidade provisória. O que importa é a existência da gestação e o período em que ela ocorre.


Ação judicial e seus direitos: Diante dessa situação, é recomendado buscar orientação jurídica para avaliar a possibilidade de ingressar com uma ação judicial. Através desse processo, você pode reivindicar seus direitos e buscar uma reparação pelos danos sofridos. Um advogado especializado em direito trabalhista poderá analisar o caso e orientar sobre as melhores opções.


Indenização e verbas rescisórias: Em uma ação judicial bem-sucedida, é possível pleitear o pagamento das verbas rescisórias que você teria direito caso não tivesse sido demitida, além de uma indenização pelos danos morais decorrentes da demissão injusta. É fundamental apresentar provas, como documentos médicos que comprovem a gravidez no momento da demissão, para fortalecer seu caso.


Buscar apoio emocional: Além das questões jurídicas, é importante buscar apoio emocional durante esse momento delicado. Compartilhe suas preocupações com familiares, amigos e, se necessário, profissionais especializados. O suporte emocional ajudará a lidar com o impacto da demissão e a enfrentar os desafios da gravidez.


Conclusão: Ser demitida e descobrir posteriormente que estava grávida é uma situação complexa e frustrante. No entanto, é fundamental conhecer seus direitos e buscar orientação adequada. A legislação trabalhista brasileira assegura a estabilidade provisória às gestantes, independentemente de a empresa ter conhecimento prévio da gravidez. Se você está passando por essa situação, não hesite em procurar um advogado especializado para buscar seus direitos e obter o devido amparo.



Raphaela Rossi Bondan, Advogada especialista em direito do trabalho e previdenciário, inscrita na OAB/SC 52.087 SC, escritório de advocacia localizado na Rua Uruguai, 51, sala 1, Centro, Chapecó/SC, CEP 89801-570.

Para mais informações acesse: https://www.gestantetemdireito.com/blog

Telefone e WhatsApp (49) 3026-1448

6 visualizações0 comentário
bottom of page